terça-feira, 25 de novembro de 2008

Seja um Turista em sua Cidade

Se existe uma forma prática de preservar o meio ambiente e lograr um turismo sustentável, com certeza pode partir de nós mesmos.      Sabemos a pouca capacidade que detém nossos  governantes, por falta de recursos financeiros ou por não saber administrar os mesmos, pela corrupção espalhada em todo âmbito ou simplesmente pela burocracia que impede os bem intencionados, de lograr tomar medidas realmente práticas para dar sustentabilidade ao turismo e proteger o meio ambiente.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Búzios para navegantes

A idéia deste post é dar a você, que é um marinheiro experiente ou de água doce, um panorama geral e algumas dicas (secretos), do meio náutico em Búzios. Não pretende ser um texto técnico, só uma leitura leve para os amantes de barcos e do mar e assim dar continuidade a mais tradicional cultura buziana, que é sua intima relação com o Mar.

Desde sua fundação, barcos piratas e negreiros foram visitantes habituais nas águas buzianas, hoje barcos de todo o mundo passam por suas águas e ancoram (anclan) em suas enseadas, para delícia de seus donos e outros como você e eu, que admiram barcos ou tem essa inveja romântica dos aventureiros, que vivem cruzando os mares. Aqui encontrará veleiros pequenos e desengonçados (descoyuntados), esses que tem roupas íntimas penduradas nos cabos, com bandeiras irreconhecíveis, porque estão em pedaços, desfiadas pelo vento, o mesmo vento que trouxe esses loucos aqui.

Mas esses personagens que estão a bordo são tanto ou mais divertidos que os outros, dos faraônicos mega barcos ancorados democraticamente na mesma praia. Sim, aqui já tive oportunidade de ver barcos incríveis, como cruzeiros de 170 pés de multimilionários do software, a um veleiro inglês de 105 pés, que o dono fabrica um whisky que seguramente você já tomou mais de uma vez.
Veleiros franceses, italianos, espanhóis, portugueses, neozelandeses, australianos, argentinos, enfim de todo lugar, que se juntando aos brasileiros formam uma confraria pluralista e democrática, que dá a sensação momentânea de estar na Riviera Francesa.
A fascinação que provocam os barcos ou o estilo de vida atrelado a eles em muita gente, é digna de um post a parte, mas alguns comentários que já escutei em passeios de barco, perto dos barcos anteriormente citados, dão uma ideia. Uns trocariam tudo o que tem por uma destas embarcações, outros duvidam da forma criteriosa ou não, de como o dono de tal ou qual barco, conseguiu dinheiro para sua compra, alguns se imaginam tomando sol neles, ou se conformam com seus barcos secundários, às vezes até de 40 pés. Um turista modesto comentou uma vez que se conformava com um beijo da lindíssima marinheira nórdica que conduzia um bote de apoio.

Búzios é a melhor raia de vela do Brasil e uma das melhores da América, os ventos da região favorecem o esporte. Praticam-se todas as classes desde monótipos, classes olímpicas e regatas de todo tipo, como a "Semana da Vela em Búzios", geralmente na Semana Santa, a regata de veleiros Clássicos, etc. Muitos velejadores internacionais e campeões olímpicos brasileiros treinam em suas águas.
Apesar disto, como tudo, não é perfeito, a falta de estrutura náutica desestimula um fluxo maior de embarcações. O único posto de combustível que fica no Porto Veleiro na Praia da Armação, está desativado há três anos. As Marinas, Azul e Porto Búzios sofrem com o assoreamento do canal de acesso que impede a entrada de qualquer barco, a não ser quando há maré alta. Antigamente, com estes serviços funcionando, a freqüência das embarcações era muito maior, Búzios competia com Angra do Reis, destino preferencial dos nautas pela beleza de seu litoral e sua estrutura náutica bem conservada e variada. Nossa península atraía, por sua vida noturna incomparável e suas praias. Para quem não conhece as distâncias, do Rio de Janeiro à Búzios são 80 milhas náuticas e do Rio à Angra são 70 milhas náuticas, a distancia não é a dificuldade, mas sim a falta de estrutura. Mas como tudo em Búzios depende na maioria das vezes do investimento particular, a coisa tende a melhorar. Proximamente, Porto Veleiro passará por uma ampla reforma e ampliação, voltando a ter seu posto de combustível funcionando. O canal da marina está sendo dragado pelo governo estadual e existe um projeto da Marina Verome, a maior marina do Brasil, de instalar uma sucursal neste local. Também a ampliação do píer de Manguinhos já efetuada, dá revigoradas esperanças aos amantes da náutica em Búzios.
Geralmente os passeios são DAY CHARTERS (diurnos), podendo optar por um variado cardápio a bordo e quem sabe conhecer também Arraial do Cabo.
Para os que se aventuram com a própria embarcação, passo alguns dados. A navegação em Búzios pode dividir-se em dois, ao norte da península e ao sul dela. Ao norte na enseada onde se encontram as praias, João Fernandinho e João Fernandes, Azeda e Azedinha, Praias, dos Ossos, Armação, do Canto, Virgens, Tartaruga, Manguinhos e Rasa, a navegação é tranqüila. Com ventos de até 15 nós as marolas não passam de 50 a 60 cm, tanto Nordeste e Leste como Sudoeste. Ao sul da península, onde estão Praia Brava, Olho de Boi, Forno, Foca, Ferradura, Ferradurinha, Geribá, Tucuns, Zé Gonçalves e Caravelas é mar aberto e com vento por cima dos 10 nós a navegação tornasse desconfortável, sobretudo com Nordeste e Leste, com ondas de mais de 1 metro. Com 15 nós as ondas passam de 1,5 metros a 2 metros, com 20 nós ou mais, já vi ondas de 3 a 4 metros. Com freqüência de ondas às vezes de 6 a 9 segundos, torna-se insofrível qualquer navegação, com ventos sul e sudoeste a navegação em mar aberto é bem mais confortável.

Têm várias lajes submersas em toda a península, devidamente marcadas na carta náutica. Podem ancorar em todas as praias respeitando as distâncias de 100 m ou 200 m dependendo da praia, consulte a Capitania de Cabo Frio, outro link para consulta meteorológica Previsão para a Orla Marítima do Estado do Rio de Janeiro.
Têm várias lajes submersas em toda a península, devidamente marcadas na carta náutica. Podem ancorar em todas as praias respeitando as distâncias de 100 m ou 200 m dependendo da praia, consulte a Capitania de Cabo Frio, outro link para consulta meteorológica Previsão para a Orla Marítima do Estado do Rio de Janeiro.
As alternativas para os que não possuem barco em Búzios e pretendem fazer passeios, o post Búzios, passeios de barco e sua fauna marinha dará um ideia clara do que podem fazer. Para os velejadores as possibilidades não são muitas, aluguel de monótipos, laser e hobby cat no meio da praia de Ferradura, onde também se alugam caiaques. Passeios com skipper ou comandante já é mais fácil.

Carta náutica de Búzios é a Numero 1504 e Búzios e Cabo Frio Numero 1505

Porto Veleiro: LAT: 22º 44' 51" S LONG: 041º 52' 55" W

Marina Porto Búzios: LAT: 22 45'16" S LONG: 41 57' 53" W
Marina Azul: LAT: 22 45' 16" S LONG: 41 57' 12" W

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Centro Gastronômico Porto da Barra

Pergunta comum de todo turista: onde há um bom lugar, bonito e barato para comer?  Porto da Barra é um lugar onde essas três equações estão conjugadas, vou explicar por que.
BOM: a ideia que a maioria de nós temos de um bom lugar para comer é onde tenhamos uma série de profissionais do ramo aptos a nos surpreender, sempre de uma forma agradável, seja por amabilidade e simpatia dos garçons, seja ao degustar um prato novo bem elaborado ou simplesmente encontrar numa comida simples e corriqueira, o sabor de nossas saudosas lembranças. Quem já teve a grata sensação de com um sabor ou um cheiro (olor), sentir-se transportado anos atrás e parecer rever um ente querido cozinhando um prato similar, sabe do que estou falando.
Essa capacidade de reunir profissionais que nos deliciem com culinária internacional, típica ou caseira, faz de Porto da Barra uma ótima escolha, encontraremos desde sofisticados restaurantes ao saudoso e arrumado botequim, com nosso petisco preferido. Tudo com o esmero e a limpeza típica dos que gostam e sabem o que fazem.
BONITO: seria desmerecer o lugar de que estamos falando. Construído em um amplo terreno de 14.000 metros quadrados à beira mar, ao lado da típica Colônia de Pescadores de Manguinhos e seu famoso Mercado de Peixes, o lugar absorve a antiga herança buziana, de degustar peixes e petiscos com a bem ponderada e nunca esquecida cerveja gelada. A vegetação nativa, que no caso é remanescente de antigos mangues (mangles), não só foi preservada como re-implantada em vários setores. Você também observará que essa vegetação forma parte da estrutura dos decks e fornece a maravilhosa sombra onde você descansa. O projeto do arquiteto Octávio Raja Gabaglia, um dos mentores da tradicional arquitetura buziana, estabeleceu as normas que você verá aqui, respeitar e valorizar a natureza e conservar o estilo buziano das construções. Os restaurantes formam uma praça de alimentação comum, ao largo de decks primorosamente iluminados, onde você compartilhará a sensação de estar em um lugar privilegiado, com sua família, amigos buzianos, gente famosa ou ilustres desconhecidos.
Mas tudo tem virtudes e defeitos, uma virtude é ter essa praça comum. Geralmente concordar com o que comer gera atritos, as crianças querem comer pizza e os pais comida asiática, por exemplo. Quase todos os estabelecimentos permitirão que você faça seu pedido em um ou outro restaurante, assim pais e crianças poderão compartilhar a mesa. Outra virtude é ter um amplo estacionamento, raro em outros lugares da cidade.
O defeito, no meu caso em particular não tem solução, é a incapacidade de definir a que horas visitar Porto da Barra; almoçar e ficar submetido a uma interminável preguiça sob a sombra de suas árvores? Ou ir no meio da tarde para comer alguma coisinha e deliciar-me com cerveja gelada até a iluminação clarear os decks e a vegetação? À noite depois de um caloroso dia de praia, aproveitar uma romântica e fresca ceia? Quando visite não marque compromissos posteriores, correrá sério risco de não cumpri-los.
BARATO: que é barato? Tudo que compre, a um custo que seja de acordo com o benefício obtido. Já sei, não responde a sua pergunta.
Aqui citarei três opções de comida de cada um dos estabelecimentos, cobrindo menus para todos os orçamentos. Assim você poderá determinar com antecipação, agora que está lendo este post, o dinheiro que reservará durante suas férias para visitar Porto da Barra. Não importa o que tome, seja uma cerveja ou um vinho mais caro, o que não pode é deixar de conhecer este lugar.