Recomendações de Buziosblog

Nossos Parceiros

Praia Ferradurinha Recomendamos

Espelho das Águas

Se você está pensando em Búzios, a badalada praia de Geribá imediatamente será a imagem mais lembrada (recordada). Que tal organizar uma festa de Réveillon, um aniversário de alguma data memorável com amigos ou um casamento a beira mar, talvez descansar uns dias reunindo toda sua família. Espelho das Águas é o lugar ideal, seu belíssimo jardim de 5.400 m², idealizado pelo paisagista Burle Marx, se estende em frente às areias da praia de Geribá.... .

Espelho das Águas Espelho das Águas

Club La Plage

É um lugar de sonhos em um ambiente prazeroso que lhe permitirá desfrutar ao máximo sua estadia, ideal para casais em Lua de Mel, jovens ou adultos. Um dos destinos mais bonitos do Brasil, com um clima excelente todos os dias do ano e uma atenção especializada.

Club La Plage Club La Plage

Hotel La Forêt

A Pousada La Forêt está localizada na famosa península de “Armação dos Búzios”, a 200 metros das praias de “João Fernandes”, "Azeda", "Azedinha" e a mesma distância da "Praça dos Ossos", onde começa a grande variedade de restaurantes e lojas de Búzios.

Hotel La Forêt Hotel La Forêt

Mata Hari

Restaurante e Apartamentos, com localização privilegiada frente ao mar, com acesso direto a Orla Bardot, a 600 metros da Rua das Pedras e proxima às mais belas praias de Búzios..

Mata Hari Mata Hari

Pousada Repouso do Guerreiro

Nossa pousada esta localizada em Geribá a 30 metros da servidão que conduz a areia, em um dos locais mas nobres da praia e do bairro. Nossa estrutura permite o conforto e tranquilidade que você procura em seus dias de descanso, com variedade de acomodações que atenderão suas necessidades

Pousada Repouso do Guerreiro Pousada Repouso do Guerreiro

Pousada Solar de Búzios

A 300 metros da Praia de Geribá, Solar de Búzios oferece toda a estrutura que você precisa, num ambiente exclusivamente decorado pelos donos com objetos e lembranças de suas viagens pelo mundo...

Pousada Solar de Búzios Pousada Solar de Búzios

Pousada Terra do Mar

Ferradura e uma praia que tem a particularidade de ter águas calmas e cristalinas, ao largo de suas areias grandes mansões aproveitam de essa tranquilidade o ano todo, si você pretende aproveitar de essas características em suas férias, Terra do Mar é o lugar indicado.

Pousada Terra do Mar Pousada Terra do Mar

Hotel Ville La Plage

A pousada Ville La Plage possui uma privilegiada localização dentro da península de “Armação dos Búzios”, em frente ao mar, na belíssima praia de João Fernandes. Nossos hóspedes encontrarão todas as instalações necessárias para desfrutar plenamente da sua estadia: bar e restaurante, coffee-shop, onde poderão desfrutar do mais completo café da manhã brasileiro com vista ao mar.

Hotel Ville La Plage Hotel Ville La Plage

Seja um Turista em sua Cidade

Se existe uma forma prática de preservar o meio ambiente e lograr um turismo sustentável, com certeza pode partir de nós mesmos.      Sabemos a pouca capacidade que detém nossos  governantes, por falta de recursos financeiros ou por não saber administrar os mesmos, pela corrupção espalhada em todo âmbito ou simplesmente pela burocracia que impede os bem intencionados, de lograr tomar medidas realmente práticas para dar sustentabilidade ao turismo e proteger o meio ambiente.
O turista é a pessoa indicada para ser a ferramenta fundamental nessa tarefa e um ávido consumidor de paisagens, de sons, de odores; crítico sem preconceitos formados do lugar que visita, ávido no intercambio de informações em uma conversa.
Mas como ser turista em minha própria cidade? A maioria de nós pesquisa nosso próximo destino de férias com meses de antecipação, participa de fórum, blogs e todo tipo de informação disponível na internet. Procure na web, com o mesmo fervor, um destino em sua cidade, na cidade vizinha que não conheça, parques, museus, teatros, lugares históricos, etc. Entre no fórum de sua cidade e veja o que o turista procura, e visite. Posso assegurar com certeza absoluta que tem lugares que você não conhece. Eu conheço cariocas da gema, que jamais subiram ao Cristo Redentor ou foram ao Jardim Botânico, paulistas que jamais entraram no MASP, ou portenhos que passam todo dia em frente ao Teatro Colon em Buenos Aires e jamais tiveram a curiosidade de saber como é por dentro, enfim poderia dar muitos exemplos. Estimule seu apetite de turista na internet e uma vez ao mês seja turista em sua cidade, vá com essa mentalidade, com câmara fotográfica, com as crianças, com seus víveres, etc. Essa sensibilidade de turista, de perceber coisas novas, permitirá a você, quando regresse de seu passeio, confrontá-la com a visão do cidadão. Perceberá defeitos e virtudes que podem ser melhorados. Comente numa roda de amigos ou colegas de trabalho, participe dos fóruns em que turistas procuram informações de sua cidade, você sabe por experiência própria que o boca a boca é a melhor propaganda. Você se beneficiará a curto ou médio prazo e o turista que visita sua cidade também. Esta crítica sem intenção de um lucro direto, bem intencionada, com consciência ambiental e de participação espontânea, é a base de uma fiscalização de uma indústria de turismo que mobiliza bilhões de dólares, que mais cedo ou mais tarde terminará dando a sustentabilidade ao turismo em sua cidade, com a conseqüente distribuição de renda a seus cidadãos.
Basicamente, para a maioria das pessoas, o lixo (basura) disperso no meio ambiente não gera um perigo palpável, apesar de sermos bombardeados constantemente pela mídia gráfica e televisiva, que nosmos trarios cheios de lixo, inundações provocadas por entupimentos, espécies animais ameaçadas, etc. Por quê? Geralmente os fatos que não implicam em um perigo iminente a nossa sobrevivência, são tratados por nosso cérebro com uma dose de menosprezo. Vou tentar me explicar melhor com um exemplo corriqueiro: qualquer um de nós caminhando pela praia ao encontrar um caco de vidro, não duvida em recolher e levar a um lugar onde não ocasione um perigo imediato a nossa espécie ou a outra de estimação que conviva conosco, não pensa se alguém está olhando, o que o outro vai achar, só recolhe. Mas se é um plástico, copo ou coisa por estilo, raramente recolhe, não implica em um risco imediato para sua espécie ou alguma de seu convívio, pensa em que dirão as pessoas que estão em redor, etc. Isso ao meu humilde entender se explica, porque o vidro quebrado representa um perigo desde a época de seus inventores, Egípcios ou Fenícios e nosso cérebro interpreta instantaneamente e atua sem cogitar, o plástico é um perigo novo, que não nos gera dor ou perigo físico iminente. Diferente é para as espécies que não são de nosso convívio, para elas o plástico também é um perigo recente, para seguir com o exemplo anterior, os cérebros de aves marinhas, tartarugas, peixes ou golfinhos não interpretarão como um perigo, por ser jovens demais ou por não terem essa experiência prévia adquirida por instinto de sobrevivência ao largo de séculos e morrerão afogados ou com hemorragias gástricas depois de ter engolido o plástico que deixamos de recolher na praia.
Como poderíamos fazer para que nosso cérebro reconheça a tempo o perigo. Todo mundo é consciente de que com a quantidade de lixo que produzimos, não teremos um milênio para adaptar-nos, como no caso do vidro. É simples de reverter e poderemos começar já. Dê o exemplo, recolha o plástico ou qualquer outro tipo de lixo quando o encontrar e a pessoa que está te vendo, refletirá mais cedo ou mais tarde, que você não é um doido, o cérebro dele relacionará que você estava não só sendo pulcro, mas também evitando um perigo. As crianças, são sempre os melhores alunos, estão em idade de aprender sem preconceitos anteriores, se educamos nossas crianças nesse sentido, sendo otimistas, em duas ou três gerações solucionaríamos o problema.
Esqueça que por mais que todos falem de sustentabilidade e ecologia, se você não se conscientiza e cria hábitos, para convencer a parte límbica de seu cérebro, que não sabe lidar com esses novos perigos, não solucionaremos nada. Não adianta só falar da incompetência dos líderes, em fechar acordos de emissão de poluentes e outras bandeiras ecológicas. A melhor forma de solucionar é começar com nós mesmos.
Uma amiga bióloga marinha, Bruna, sempre vinha em nossas saídas de barco em Búzios com uma caneca (taza) de plástico pendurada em sua mochila, ela não usa copos descartáveis. Você sabe a quantidade de copos descartáveis de plástico que uma cidade como Búzios na alta temporada, com 130.000 pessoas, joga fora por dia? Imagine! Nossa amiga com uma simples caneca de menos de 1 U$S dá um exemplo a ser seguido. Quanto menos plástico estaria em nossas ruas se a gente copiasse essa idéia? Eu lembro que em minha época de escola há uns lustros atrás, a gente levava à escola nossa canequinha, como também me lembro de fazer as compras com uma sacola de mercado não descartável. Quantas sacolas de mercado você joga fora por dia? Quantas sacolas você vê penduradas em árvores, nas cercas dos campos, nas praças, no chão? Esses são perigos que nosso cérebro tem que aprender a reconhecer, compre uma caneca e desfile com ela em suas férias, dê uma a cada um de seus filhos, peça no link que vou fornecer uma sacola para fazer suas compras de supermercado. Se tiver que comprar muita coisa, peça ao supermercado que entregue em sua casa.
Se você vê uma pessoa em Búzios, com mochila nas costas com uma caneca pendurada, máquina fotográfica, talvez seja eu, "um turista em sua cidade". Tomara que não me ache, não porque não queria falar com você leitor, mas porque quero que o exemplo se espalhe e veja vários, nas mesmas condições. Ah! Se é mulher quem leva a mochila com a caneca, talvez seja Bruna.
Dica da sacola em Amostra grátis Já

5 comentários:

Sabrina pelo Mundo disse...

Olá, Cláudio! Adorei a idéia da caneca! Você tem razão... eu também levava um canequinha à escola quando era pequena, na mesma época em que trocávamos os engradados de refrigerante no supermercado por garrafas cheias (não existiam garrafas pet, todas eram "retornáveis"). Será que estamos andando para trás? Espero que as canecas virem moda em Búzios e por aí afora! Um abraço!

CGP disse...

Obrigado Sabrina,eu acho que com soluciones simples, com divulgação e muita educação poderemos, dar uma solução. Mia mulher lembrava, de Sugismundo!!! Lembram de ele, uma campanha publicitária, em escolas e mídia de antigamente. Teriam que ressuscitar essa campanha. Abrasos

sabrinapelomundo disse...

Puxa, do Sugismundo eu não lembro...

CGP disse...

Sintoma que você tem bem menos de quarenta.. otimo!

Anônimo disse...

adorei!!!!! acho que nunca é tarde de mais lembrar o que os animais sofrem por nossa causa....
eu queria que o mundo fosse um pouco melhor do que eu o incontrei.....
bom... parabéns

Postar um comentário

Por favor identifique se, onde diz comentar como: escolha as opções, ou poste em Nome/URL. No responderei, perguntas anônimas. Obrigado.