As Baleias de Búzios

Há algum tempo publiquei aqui “ Búzios, os passeios de barco e sua fauna marinha ” e prometi adicionar um post destinado às Baleias de Bú...

Foto 1 Baleia de Bryde, emergindo do lado de nosso barco. Há algum tempo publiquei aqui “Búzios, os passeios de barco e sua fauna marinha e prometi adicionar um post destinado às Baleias de Búzios. Hoje, dia 19 de Janeiro, completa um mês que o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou um Decreto, onde declarou que todas as águas marinhas sob jurisdição brasileira tornaram-se santuário de baleias e golfinhos, em comemoração aos 21 anos da Lei Federal que impede sua caça em águas jurisdicionais Brasileiras
Foto 2 Baleia de Bryde curioseando nosso barco.

Armação dos Búzios deve seu nome a uma antiga Armação (Fábrica ou factoria) Baleeira, que funcionava na praia que ainda leva esse nome. Ali se descarnavam as baleias e o óleo extraído era usado para várias finalidades, incluindo iluminação pública e construção civil. Posteriormente despejavam os esqueletos na à praia ao lado, ate hoje chamada Praia dos Ossos.
Dentre algumas poucas lembranças que se têm dessa época, permanece a Igreja de Sant’Ana e outras casas coloniais nas praias de Armação e dos Ossos que foram construídas com óleo de baleia. Além de alguns restos de ossos pendurados (colgado) em um ou outro restaurante. Porém, pouca coisa ainda perdura na memória dos moradores e sobretudo, das autoridades locais, personagens importantes da história do município.. Tudo parte de um menosprezo tácito: a cultura e história da cidade. Parece que a história de Búzios começa a partir da visita ilustre de Brigitte Bardot na década de 60. Mas esta é outra história...
Como amante do mar e navegador costumeiro, era de se esperar que eu estivesse acostumado às aparições de cetáceos. Porém, mesmo marinheiros com mais de 20 anos de experiência no mar (como meus amigos e colegas de expedição Felix e Leonardo), ou a Bióloga Bruna Pagliani (que já viu baleias de tamanho e espécies diferentes em vários lugares), assim como eu, sentimos uma emoção incomparável a cada encontro. E são muito mais freqüentes do que todo mundo imagina.
Foto 3 Bryde pulando frenteao Barco

Em Búzios há apenas duas embarcações que têm maiores possibilidades de encontrar as baleias, por serem os únicos que podem sair com absoluta segurança para o a mar aberto. Isso se dá porque são barcos infláveis semi-rígidos (gomones). Um é o Buziosnauta, com um pouco mais de 14 metros de comprimento (eslora). O outro é o Libertas, com aproximadamente 13 metros. Se as condições do mar forem confortáveis para os turistas, ambos percorrem um trajeto até a praia de Geribá, localizada no lado S da península e, portanto, em área de mar aberto. Nesse percurso existe um faixa que vai da Ilha Branca até a entrada da praia de Ferradura, onde as Baleias são vistas com maior freqüência (veja no mapa). Nesse local, a profundidade próxima às encostas varia de 18 a 23 metros, chegando a 45 metros em menos de uma milha náutica de distância da costa.
Búzios_Whale_Zone Com menos freqüência as baleias entram na enseada de Búzios e podem ser vistas desde as praias de João Fernandes a Azeda. No entanto, com um pouco de sorte pode-se avistar os borrifos (que se vêem a quilômetros de distância, quando a visibilidade está boa), ou se o animal estiver mais perto, até sua nadadeira dorsal é possível de ser visualizada a partir do Mirante de João Fernandes - o lugar onde com certeza todo turista visita.Foto 10 Baleia de Bryde en João Fernandes Mas nada será mais espetacular do que estar em um barco e poder ter a chance de ver de pertinho esses animais tão surpreendentes! Sem avisar a ninguém a tripulação desligará o som e mudará repentinamente de rumo. Nós jamais desviamos da rota sem ter absoluta certeza de ter visto os borrifos pelo menos duas vezes, com isso não criará uma falsa expectativa nos turistas e o capitão saberá o rumo da Baleia. Faltando umas duas milhas náuticas, desliga-se a sonda para que o ultra-som emitido por ela não a perturbe e avisa-se aos turistas e que mantenham silêncio. Tomam-se essas precauções para ter a maior aproximação possível, evitando incomodá-lo. 
DSCF9344As reações dos turistas são diversas, uns incrédulos totalmente (já ouvi várias vezes que éramos uns mentirosos, como poderia ter baleias ali) e outros que vêem em qualquer marola a presença de Moby Dick. Acho que algumas das fotos postadas aqui descrevem melhor a situação.Foto 6 Outros encontros entre Baleias de Bryde e turistas. 

Quero fazer menção especial ao Grupo de Estudos de Mamíferos Marinhos da Região dos Lagos (GEMM-Lagos) que atua na Região norte Fluminense há mais de dez anos, no qual fazem parte o prof. Dr. Salvatore Siciliano e outros biólogos, como a nossa parceira e amiga Bruna Pagliani S. Di Dario. A Bruna colabora com fotos neste post. Ela faz um trabalho magnífico, monitorando as Baleias de Bryde (Balaenoptera edeni) em nossa península. Os embarques são realizados três vezes por semana, quando são feitas as medições de temperatura e salinidade da água em algumas praias. Na ocasião da avistagem de cetáceos, a localização e a profundidade são registrados com ajuda de GPS e sonda presentes no barco, além da identificação da espécie, do número de indivíduos e o comportamento.
Foto 4 Mãe e Filhote na ponta do Criminoso
Baleias de Bryde (Balaenoptera edeni): pouco se conhece sobre esta espécie.  Até pouco tempo atrás a baleia de Bryde era confundida com outra espécie de baleia bem semelhante, a Baleia Sei. A característica principal que a diferencia desta última é a presença de três cristas que possui em sua cabeça. Possui coloração cinza escuro dorsalmente, cinza clara em suas laterais e branca em sua parte inferior. Sua nadadeira dorsal é similar a uma quilha de prancha de surf e está posicionada próximo à cauda. Seu tamanho pode chegar a 15,5 metros e pesar 25 toneladas. É uma baleia esguia e muito ágil, quando comparada à sua prima baleia Jubarte. É vista geralmente aos pares (inclusive mãe e filhote) ou solitárias. Aqui em Búzios já vimos até oito indivíduos separados por 1000 metros de distância, alimentando-se. Sua dieta é composta de sardinhas ou outros pequenos peixes, além de pequenos crustáceos (animais parecidos com camarõezinhos) freqüentes na região. As baleias de Bryde não são migratórias, vivem o ano todo em águas tropicais e subtropicais, podendo ser encontradas próximas à costa. Foto 8 Baleias Jubarte mãe e filhote em Búzios. Devido à sua característica de não formar grandes grupos, como as Baleias Francas e Jubartes (que tem lugares específicos para reprodução, maternidade, etc.), às vezes sua visualização pode ser dificultada. Atualmente um tipo de turismo, o Whale Watching ou observação de Baleias, se beneficia desses locais onde há grandes concentrações de baleias e está se tornando cada vez mais freqüente ao redor do mundo.
Foto 7 Baleia franca amamentando seu filhote, frente a Praia BravaQuem sabe futuramente, terminados os estudos que estão sendo realizados por aqui, Búzios poderá ser também um lugar de observação de baleias de Bryde. E porque não dizer cetáceos, já que outras espécies de cetáceos (baleias Jubartes, baleias Francas, Orcas e golfinhos) aparecem de vez em quando por aqui também, como a gente pode observar nas fotos que postei.

Veja também

10 comentários